Artigos

18/10/2018
Os riscos de não se realizar calibração de instrumentos de medição

Em Balança, Calibração, Instrumentos de medição

Atentar-se à qualidade e conformidade dos produtos, serviços e processos é fundamental para qualquer empresa idônea e competitiva. Nesse intuito, a metrologia como ciência da medição presta um grande serviço, tanto ao setor privado ¬quanto à sociedade. Entretanto, para que as relações estejam em equidade é preciso realizar regularmente a calibração dos instrumentos de medição.

A calibração é um procedimento obrigatório para todas as empresas que utilizam de algum instrumento de medição para fabricação, comercialização ou prestação de serviços. Afinal, é impossível pensar em algum processo que não dependa de algum tipo de medição, seja de tempo, volume, temperatura, pressão, etc.

Esse procedimento pode ser definido, segundo o Inmetro como um “conjunto de operações que estabelece, sob condições especificadas, a relação entre os valores indicados por um equipamento de medição ou valores representados por uma medida materializada ou um material de referência e os valores correspondentes das grandezas estabelecidas por padrões”. Dessa forma, não realizar a devida calibração de instrumentos de medição é assumir diversos riscos para o negócio.

Riscos financeiros

Da balança de padaria, que fornece o parâmetro de precificação do pãozinho do café da manhã, ao manômetro que indica a pressão de uma caldeira industrial, as decisões do nosso dia a dia depende, constantemente, de instrumentos de medição. E, consequentemente, os custos envolvidos.

Uma vez que a calibração permite descobrir se um instrumento de medição está realizando medições confiáveis, esse processo impacta na economia. Por exemplo, alimentos congelados precisam ser acondicionados e transportados sobre rigorosos controles de temperatura, e um termômetro pode fornecer essa informação.

Se esse determinado instrumento de medição não estiver devidamente calibrado, qualquer controle de temperatura pode não refletir a realidade e o risco de assumir falsas medições de temperatura pode fazer com que o alimento estrague. Nesse caso, os riscos financeiros que a empresa teria que arcar seriam com a perda de matéria-prima, frete, tempo de trabalho, indenizações e até mesmo multas.

Agora, imagine uma indústria que fabrica centenas de milhares de produtos em série. Uma simples decisão tomada com base em um instrumento que teve os resultados de calibração desprezados poderia gerar problemas em todos os produtos. O risco em negligenciar a calibração de instrumentos de medição pode ser transferido na forma de custos para o produtor, e este pagará um preço cada vez maior a medida que mais instrumentos são deixados de lado.

Para o cliente final, os riscos chegam na forma de qualidade do produto e preço a ser pago. Para o produtor os riscos podem retornar externamente em reputação da marca junto ao mercado e na possibilidade de baixa nas vendas.

Riscos de regulamentação

Segundo normativa do Inmetro, no Brasil, “estão sujeitos à regulamentação e ao controle metrológico os instrumentos de medição e medidas materializadas utilizados nas atividades econômicas (comerciais) e nas medições que interessem à incolumidade das pessoas nas áreas da saúde, da segurança e do meio ambiente, e os produtos pré-medidos”.

Portanto, compete à entidade zelar para que as organizações cumpram com a lei, que determina que o detentor do instrumento de medição é o responsável pela manutenção da exatidão e correto uso dos aparelhos. A calibração dos instrumentos de medição é, também, uma medida legal tomada para evitar sanções pelo não cumprimento das regulamentações.

Riscos nos produtos e processos

Hoje, é possível dizer com segurança que as marcas que se destacam no mercado são aquelas que estão comprometidas com o público-alvo delas. Um produto sem qualidade, ou serviço prestado de forma não satisfatória são motrizes para uma crise na organização. Para não haver esse risco, as decisões de negócio sempre são baseadas em medições assertivas.

Embasar uma decisão estratégica com resultados provenientes de instrumentos não calibrados é colocar em cheque essas escolhas. Um produto sem qualidade colocado à venda, uma peça fabricada incorretamente enviada a uma montadora, uma fórmula farmacêutica manipulada incorretamente, etc. Em muitos momentos as medições são fundamentais para assegurar a qualidade de um produto ou processo.

Dessa maneira, é possível entender que a calibração dos instrumentos de medição é um investimento muito inferior quando comparado com os prejuízos que quaisquer desses riscos gera às empresas. Uma organização comprometida com a qualidade dos seus produtos e serviços não se baseia na sorte, mas sim em dados e processos confiáveis para a tomada de decisões acertadas.

Não deixe a sua empresa sujeita aos riscos por falta de calibração nos instrumentos de medição. Entre em contato conosco!